domingo, 16 de abril de 2017

JOHN GALLIANO AND MICA COSTA-GRANDE, A TALE OF TWO ANTI-SEMITES





John Galliano, the acclaimed Dior designer, was videotaped, on 2011, in a small French restaurant, in a rant against Jews. The designer, later, said he was drunk and asked for forgiveness. John Galliano also said that he was an alcoholic and he did not hate Jews. The insults were directed to a group of French and Italian tourists.
All the French and International Media put the story on front page. Galliano lost his post at Dior and, years after, appeared as a designer of a small Italian fashion company, Maison Margiela. His career seems to be finished, however.
In Macau, another anti-Semite, Mica Costa-Grande, a well know artist and photographer, had a very different treatment, from the Media. For more than 7 years, MicaCosta-Grande has been posting, in his Facebook page, racist and neo-Nazi comments about Jews and Blacks. However, after his dark side was revealed, in this blog, all the Portuguese Media silenced the fact, in a strategy to protect the racist artist. 





Mica Costa-Grande even issued a statement, claiming Holocaust was a crime. But in his good old days, he refused to admit that the Holocaust existed and wrote that Zyklon B, the gas used for killing people in Auschwitz and other death camps, was not lethal. The idea that Zyklon B could kill people was a official version, imposed but controversial, he wrote, in his Facebook page (don’t look for these posts, Mica Costa-Grande deleted all of them)

sexta-feira, 14 de abril de 2017

O "FREQUENTADOR ASSÍDUO DA "CARAVELA" QUE NÃO CONHECIA "CARAVELA" NENHUMA





Para se avaliar bem "qualidade" e a personalidade do mesmo indivíduo, Luís Miguel Fernandes Crespo, aka Leocardo, funcionário da Conservatória do Registo Predial de Macau, colunista do jornal Hoje Macau e do boletim "A Voz", da Associação dos Macaenses, presidida por Miguel Sena Fernandes, convém ler esta descrição sobre o "desaparecimento" do café-restaurante "A Caravela".

O anónimo que nunca foi anónimo, embora tenha escrito sempre sob anonimato...

 

Outra peça interessante sobre o Luís Miguel Fernandes Crespo, aka Leocardo, funcionário da Conservatória do Registo Predial de Macau, colunista do jornal Hoje Macau e do boletim "A Voz", da Associação dos Macaenses, presidida por Miguel Sena Fernandes: "Não sou nem nunca fui anónimo" mas "escrevi sob o anonimato desde sempre"...


Um artigo MUITO interessante sobre o Luís Crespo, aka Leocardo

Uma das peças mais interessantes que já li sobre o Luís Miguel Fernandes Crespo, aka Leocardo, funcionário da Conservatória do Registo Predial de Macau, colunista do jornal Hoje Macau e do boletim "A Voz", da Associação dos Macaenses, presidida por Miguel Sena Fernandes: "A obsessão anal do Luís Crespo ("Leocardo")", publicada no blogue "Leocardo". 

Excertos retirados do blogue "Bairro do Oriente":
- "(...) depois de andar ali este tempo todo com mais este barrote atravessado nos rebordos daquela vala-comum em que se transformou o rêgo";
- "(...) Deve ser aquilo que ele entende por 'não ter papas na língua', e 'direito à opinião', e um c...ão pelo cu acima deste gajo";
- "(...) Ó Alberto, enquanto não chega o Abdul Enrabate Jaki, mete a vassoura pelo cu acima, que pode ser que alivie a comichão";
- "(...) os Trumpistas (...) deviam era metê-los todos numa ilha onde pudessem ir à bilha uns aos outros o dia todo, de tão "bonitos" e "puros" que são, benzósdeus";
- "(...) Nota dez para o primeiro e último comentadores, um cabo de vassoura pela peida acima do ArrowBlade GTX (nome imbecil, aliás)";
- "(...) Na quarta, ainda atordoados com a inserção anal forçada daquele melão chamado Talisca";
- "(...) epá ó seu assanhado, vai procurar um cabo de vassoura que te alivie o prurido anal, querem lá ver o que tenho que aturar?";
- "(...) deste camarada a que fiz referência neste post, cujo prurido anal levou a fantasiar sobre os dotes de Deus, imaginando uma relação homossexual entre o putativo criador e (o pobre) José de Arimateia";
- "(...) gosta de mulheres, sim senhor, porque é melhor que os rabetas e não quer cá misturas, mas que de tempos em tempos é acometido por um prurido anal que requer um tratamento que o sexo oposto não lhe pode providenciar"; 
- "(...) Mas o que aquela malta quer mesmo é piça, pá! Reparem nesta fixação com os homossexuais, e sexo anal, e diarreia, e ânus, blergh!";
- "(...) Vou aqui reproduzir o macarrónico verbatim que a infeliz criatura produziu, e de seguida (...) deixar claros alguns pontos que lhe parecem causar (ainda) um certo prurido anal:";
- "(...) Como estavas de costas não deves ter reparado, mas aquilo não foi bem a língua que eles te enfiaram no bujão, e nem por isso deixaste de gostar. Até pediste bis!";
- "(...) Dr. Xxxx-Xxxx, não conhece o verbo "cometer", mas apenas "no cu meter";
- "(...) Agora sim, vou acabar com uma pequena sugestão: os restantes administradores do grupo de que este indivíduo se diz "dono" - e que o meta todo pelo cu acima - fazem ali o quê, exactamente?";
- "(...) O fascínio do "sábio" pela estimulação anal e a persistência em agredir verbalmente pessoas que não se sabem e não se podem defender é paneleira e deveras lamentável";
- "(...) E aí está, lá para um belo dia qualquer no mês passado, afligido pela enorme comichão no rego que não o deixava em paz (...)";
- "(...) o azar foi ter herdado a comichão da mãezinha, que o faz suspirar por bacamartes dantescos, sendo o seu grande sonho picolho levar com o maço de Deus pelo rego acima, todinho. Epá que já vou deixar o gajo todo humedecido com esta conversa, que até começa a pingar do cu das calças.";
- "(...) Sabes o que é que NÃO me apetecia mesmo nada agora? Um sardão afro pelo rego acima. Ai isso seria ho-rrí-vel, credo!";